03 outubro, 2008

Pula de sombra em sombra como quem foge de um inimigo, monstro de armário, coisas assim. Mas não é disso que quero falar, monstros e inimigos e armários. Quer dizer, talvez de armários - porque ela esconde algo embaixo dos entulhos e daquelas caixas coloridas. Assim como quem foge de monstros e se esconde em sombras. Não sombras de forma abstrata, que fique claro. Estou falando dessas que são ‘o lugar protegido do sol’, entende?
Pois sim, ela caminha de sombra em sombra, se protege dos monstros, do inimigo e por fim do sol. Não que não goste do sol e etc, apesar de pular de sombra em sombra à procura de proteção. Da mesma forma que mantém a salvo todos os segredos, rimas, planos, sorrisos e promessas, embaixo dos entulhos e daquelas caixas coloridas, no armário. Assim, de forma material, pra ser mais explícito. Não que as cores e sorrisos e promessas não sejam reais, não muito, não importa, enfim. Ela esconde, guarda, protege.
Nesses dias de verão é cada vez mais difícil se proteger em sombras, do inimigo, dos monstros. Caminha quilômetros com a pele ardendo, sorrisos e cores de dentro do armário, embaixo dos entulhos, na cabeça, ao mesmo tempo, sabe? Assim, sem proteção alguma, sem sombras. Não adianta ter pressa, trancar as portas, jogar fora as caixas coloridas. Elas são reais, entende? Não os inimigos e monstros e sombras – como proteção. Ainda existem cores, sorrisos, promessas e rimas. O sol queima, maltrata. As cores cansam, os risos ferem. Tudo ao mesmo tempo. Assim, existindo sem existir, fora do controle.

5 comentários:

Cherry A. disse...

Everything is outta control and there's nowhere to hide. But we still here...
I miss you, girl!!
Kisses :***********

Tuka blog disse...

complexo... profundo!
abraços!

cau, disse...

contemporaneíssima!

Fernando disse...

rapaz, eu gostei. Só imaginei tu correndo do sol daew de Imperacity =P

carolina disse...

frávias,
temprete cheroso de bunito!
dorei a fror.

sodadedocê!