28 maio, 2009

Já passou do ponto


Toda a loucura, culpa, mágoa, rancor. Está tudo em excesso, transbordou, ultrapassou todos os limites suportáveis. Até a saudade dos bons tempos e a alegria das fotos estampadas pelo quarto me cansam. Não consigo ver nada além dessa parede sem cor, pálida, em branco. Perdida no tempo e no espaço, sem saber direito onde e quando tudo se perdeu.

Mas chega de suposições, justificativas e remorso. Está feito. É hora de assumir minha condição de humana ao errar. Compreender que o ‘sem volta’ existe, independente da nossa vã vontade. Chorar? Sim, e muito. Mas até esse sentimentalismo todo já beira o ridículo, basta. Chega dessa busca por uma atitude heróica, que traga de volta o valor do que agora já não faz o menor sentido.

3 comentários:

Alda disse...

Parece que foi escrito a 4 mãos!
Tá valendo pra mim também!

Lucas "O Médi" Cunha disse...

Algumas coisas têm limites e muitas coisas não fazem sentido.

Weird.

Carolina Mello disse...

flávias de mel!