08 junho, 2009

sobre o vazio do papel

Poucas coisas na vida são mais desafiadoras que um papel em branco à espera de palavras que o preencha de algum sentido.
Devaneios me perseguem sobre assuntos imensuravelmente diversos: contas a pagar, passeio do cachorro, livros, filmes sofridos, melhor cor de esmalte, enfim. Poderia me perder entre eles, dos teóricos aos mais banais e chulos, recheando linhas e mais linhas de tantas teorias, achismos e pensoquês.
Porém quando me deparo com o papel limpo, as palavras fogem de mim, assim como o raciocínio lógico sobre meus pensamentos.
Mas deixo aqui registrado que apesar do risco (sim, risco) tento de todas as formas não me abater por esse vazio-temporário-sedento-por-significação, encaixando aqui e ali quase certezas, quimeras e sonhos. Tudo bem misturado, numa confusão colorida que ao contrário do que se vê a princípio, possui toda lógica assim esperada. Só basta ter um pouquinho mais de atenção.

2 comentários:

James Pimentel disse...

É raro achar um blog em que as pessoas postam palavras de forma armonioza, deixando assim coisas do cotidiano com um tom mais artistico.!
Adorei aqui :D

Magdalene le Boursier disse...

"armoniosa" foi legal... o.o

:D

O tema do papel em branco é um dos mais recorrentes entre as pessoas que escrevem... Ele perturba o ser "umano" (hahahahahaha) em todos os séculos!!

bjo!